terça-feira, agosto 04, 2009

vivo extremos de emoção
lido com isso
pico
subterrâneo
não explico
escrevo
poesia não sabe de limite
poesia sabe... de quê?
Não sei. Sou poesia.
vivo em verso
vivo o inverso
não dá pra explicar meu caminho
o trajeto, de verdade, é sozinho

minha vida não dá futuro
minha vida tem passado
quando olho, se olho
é pro passado, pro vivido
e com isso eu lido
mas não vivo de adivinha
querendo prever o que vem
prefiro olhar e ver
que o que se sente
é só presente

Um comentário:

Rodrigo Passos disse...

Cadê! Onde estão todos?
Meu amor não é apego é desejo.
Que forma quer o ritmo
Eu dormi quando todos gritam paz
As luzes do baile estão acesas
Meu mundo é feio, mas me mantém casto.
Minha lucidez esta além da primavera.

Obs; MUITO INTERESSANTE
www.rodrigo7passos.blogspot.com